Porto Alegre- Cinco coisas que você precisa saber

Foto: Cesar Cardia/Movimento Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho.
Foto: Cesar Cardia/Movimento Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho.

Escrevendo um texto sobre a cidade de Porto Alegre, me dei conta de que algumas coisas que para nós, portoalegrenses, é super natural, podem deixar até os turistas mais experiente, um pouco perdidos! 🙂

Assim, para dar uma ajudinha a quem vem visitar a nossa cidade, resolvi fazer esse post. Vamos a elas! 🙂

1. Uma rua, uma praça, vários nomes: Por alguma razão não explicada, as pessoas tem o hábito de dar nomes para ruas, praças e monumentos que não são os oficiais.

Por exemplo, a Praça da Matriz, que fica no Centro da cidade, na verdade tem o nome oficial de Praça Marechal Deodoro. O famoso Parque da Redenção, na verdade se chama Parque Farroupilha. O Parcão, nada mais é do que o Parque Moinhos de Vento. A rua da Ladeira, na verdade se chama General Câmara. E o mais estranho de todos. A Avenida das Andradas, no centro de Porto Alegre, é conhecida e chamada por toda 99% da população de Rua da Praia. E agora pasme. Não há nenhuma praia em toda a sua extensão…

Além disso, a mesma rua pode ter vários nomes oficiais diferentes. Por exemplo, a Avenida Nilo Peçanha, começa se chamando Nilo Peçanha, depois vira Nilópolis (a mesma rua!!!), depois termina se chamando Neuza Brizola. A mesma coisa vale para a 3 Perimetral, via arterial que corta a cidade da Zona Sul a Zona Norte, que hoje em toda a extensão deve ter mais de 6 nomes diferentes (só os que eu me lembro de cabeça, Dom Pedro, Carlos Gomes, Salvador França, Cel. Aparício Borges, Teresópolis, Nonoai e por aí vai… tudo a mesma via).

Por outro lado há avenidas gigantescas que tem sempre o mesmo nome, como a Avenida Protásio Alves e a Ipiranga…

Obs. No caso da Rua da Praia o nome tem uma razão. A rua da Praia existe desde a fundação da cidade e corria exatamente à margem do rio-lago-estuário (leia tópico abaixo) Guaíba. Com as obras de aterramento que a cidade sofreu, a Rua da Praia acabou ficando encravada no meio do Centro, mas o povo, saudosista em relação a sua praia perdida, continua até hoje a chamá-la de rua de Rua da Praia…:)

Mario Quintana passeando pela Rua da Praia :)
Mario Quintana passeando pela Rua da Praia 🙂

2. Dificuldades Geográficas: Até hoje ninguém sabe ao certo o que o Guaíba é: rio, lago, estuário… Boa parte do povo chama o Guaíba de Rio…a outra parte jura que é um lago… mais uma porção de gente, metida a entendida no assunto, diz que ele é um estuário…Da mesma forma, temos o arroio Ipiranga, também conhecido como Arroio Dilúvio, que o povo também chama de Riacho…e por aí vai.

Agora, divergência geográficas e jurídicas a parte (sim, jurídicas também, porque dependendo do que aquela porção de água que banha a cidade é, os limites de construção no entorno mudam para mais ou para menos), a verdade é que a questão gera assunto para o domingo. Se você quer passar por nativo, pode pegar intimidade e chamar só de Guaíba mesmo, que ninguém vai se importar…

O Guaíba! :)
O Guaíba! 🙂

3. Diminuir o nome das coisas: Outra mania de portoalegrense: reduzir o nome das coisas! Nós não vamos ao supermercado, nós vamos ao super; Nós não tomamos refrigerante, tomamos refri; (essa é dos mais velhos), não se dirige o automóvel, se dirige o auto; não come churrasco, come churras; não toma cerveja, toma ceva e por aí vai… Se você quiser já vir preparado, dá uma olhada nesses vídeos aqui do pessoal do “Coisas que Porto Alegre Fala”

tele ceva

4. Moeda própria: Aqui em Porto Alegre nós não usamos o R$ nós usamos o Pila. O pila é uma moeda de origem gaúcha e que, importante, não sofre variações de plural. Por exemplo, a blusa não custa 50 reais, ela custa 50 pila (sem “S”). A cerveja no boteco é 6 pila e não 6 reais.

Tá Carolina, mas se o valor é quebrado, como fica?  Pois bem, aí esqueça o pila! Por exemplo, o valor do ônibus é Dois com Oitenta e não dois reais e oitenta centavos. Sacou: 😉 A pizza custou 21 com 90 e não 21 reais e noventa centavos. 🙂

pila

5. Domingo é dia de churrasco– Se aos domingos em Porto Alegre você perceber que a cidade está envolta em uma névoa de fumaça estranha, não se preocupe, não é fogo, não é Nero, é apenas fumaça de churrasco. Pois em 09 de cada 10 residências da cidade, domingo é dia de churrasco.

E quem não tem churrasqueira em casa, faz como? Ou vai na churrascaria ou compra churrasco “prá levar” e como a sua carninha em casa. E churrasco aqui é no espeto e não na grelha como em muitos lugares do Brasil…

churrasco

Bônus: E agora um bônus!!! Essa vai ser útil na sua vida social na cidade. As pessoas aqui se cumprimentam com 3 beijos. Ou seja, é quase uma “luta de espadas” de beijo. E alguns até dizem “3 para casar”, que nada mais é do que “me cumprimenta com 3 beijos senão não vou casar! :o. Então, se você não quiser deixar a pessoa no vácuo (eu já fiquei no vácuo váááárias vezes cumprimentando pessoas em outras cidades) dê os benditos três beijos…e se você esquecer e der só dois ou um (!!!) e a pessoa disser “três pra casar!” você já sabe que terá que dar os beijos faltantes, sob pena de condenar a criatura a uma vida de solteirona…

beijo_criancas

E aí? Acharam as dicas úteis? Alguém lembra de mais alguma? Aos comentários!! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s